sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Ingratidão



Olá, gostei muito de uma reportagem que li na Folha de São Paulo, caderno Mais!, da edição de Domingo passado sobre a negligência à poesia produzida por povos indígenas das Américas, achei muito interessante o tema, e pertinente uma vez que a lei 11.645 em vigor desde 2008, a qual diz que torna-se obrigatório o ensino das histórias e culturas afro-brasileiras e indígenas, não tem surtido muito efeito.Ainda há uma certa relutância pela sociedade de um modo geral, em falar mais sobre a cultura indígena e afro-brasileira. Desde o pré-escolar aprendemos muito sobre diversas culturas e povos, aprendemos também sobre os afro-brasileiros e indígenas, mas o modo que nos é/foi passado é aí que está o erro.Aprendemos muito pouco sobre a cultura deles, aprendemos superficialmente como se fosse desnecessário e supérfluo, damos valor a culturas que muitas vezes não nos ajudaram em grandes conquistas, em nossa construção social.

A instituições de ensino assim como os meios de comunicação em massa, só fala do negro escravizado, do negro alforriado, do negro no candomblé, do negro massacrado pela classe dominante de tal época. Já dos indígenas, só se fala em como foram dizimados pelos europeus durante a colonização até os dias atuais, de como foram suprimidos de sua crença original, ou falam sobre como eles se "vestem".Pouco se fala em suas histórias, da literatura proveniente deles, de como são ricos em sua essência.Sempre é presente quando se fala em índios e afro-brasileiros, a fraqueza, a fragilidade dos mesmos, ou que não evoluíram e isso não é verdade.Eu particularmente admito que já pensei dessa forma.Ainda bem que tive a oportunidade de mudar e de conhecer a verdade.Parte de tal pensamento de outrora se deve a falta de informação .

Agora, eu me pergunto: Porquê não deram/dão importância a esses povos?Porquê essa exclusão?Eles não nos fizeram mal algum, pelo contrário ajudaram a construir a atual sociedade que vivemos.É uma ingratidão sem precisão.E parte dessa culpa é nossa também, pois deixamos que isso aconteça.Nós temos uma certa tendência em aceitar tudo que nós é passado, se não aceitamos discordamos de cara, não possuímos a iniciativa de pesquisar mais sobre tal determinado assunto.Nós conformamos com tudo.Conformismo exarcebado que permeia a modernidade desenvolvida.

Agora leitor, não pense que sou apenas uma ética de plantão ao escrever tais ideias, penso que dessa forma posso contribuir para um mundo sem tantas desigualdades sociais, levando conhecimento e principalmente a ajudar a desenvolver o pensamento crítico, assim como eu estou aprendendo a cada momento que começo a escrever. Precisamos ter fome de conhecimento para que possamos evoluir sempre.


Até.

Beijos
=*

2 comentários:

Verônica Mazza disse...

Parabens pelo Blog !
Gostei muito dos assuntos , são bem diferentes dos que costumamos ler todos os dias , sem contar que estão muito bem escritos .
Parabens Bia.

Verônica Mazza

jéssica disse...

Bia!!! Parabéns!!!estou adorando os assuntos do qual vc está tratando!!!Estão sendo muito bem abordados
SHOW!!!

Postar um comentário